Supracar por Messenger

Novo Audi A1 – Genes de Campeão

Image01

Foi desvendada a nova geração do Audi 1, modelo com um design que se inspira no ícone dos rallies Audi Sport Quattro, um dos nomes grandes na história da marca dos quatro anéis. Como não podia deixar de ser, o resultado surpreende pela positiva e merece elogios…

  • Chega a Portugal no último trimestre
  • Quatro motores a gasolina, com potências até 200cv
  • Injeção direta, turbos e filtros de partículas em toda a gama
  • Diesel e carroçaria de três portas eliminadas
  • Mais comprido e largo e com menor altura. Bagageira também cresce
  • Design exterior inspirado no Audi Sport Quattro
  • Interior com iluminação ambiente disponível em trinta cores
  • Cockpit digital disponível
  • Sistemas de assistência ao condutor como o Adaptive Speed Assist até aos 200km/h

Procurando assumir um estilo mais apelativo para clientes jovens do sexo masculino, o tipo de consumidores que este utilitário premium pretende convencer, o novo Audi A1 mostra agora uma postura mais agressiva e musculada. Um estilo impactante e que apreciámos com agrado, numa primeira hipótese para estar na presença do modelo, através de um evento realizado pela marca em Munique. Embora o tempo não fosse muito (se soubéssemos que o avião da Tap para Lisboa se iria atrasar tanto talvez tivéssemos ficado um pouco mais…), deu para confirmar que em termos de design, tecnologias e motores o modelo está muito bem preparado para atacar o mercado.

A verdade é que, pelas suas dimensões e preço (avaliação com base na anterior geração), o Audi A1 está colocado num patamar distinto dentro da oferta do triunvirato premium germânico. Os mais acessíveis modelos dos adversários (o BMW Série 1 e o Mercedes Classe A) concorrem diretamente com o A3, o que torna neste modelo na verdadeira porta de acesso para as propostas de topo. Sabendo desse posicionamento único, e tendo em conta que as vendas das marcas premium continuam a bater recordes atrás de recordes, a Audi esforçou-se por tornar bem apelativo este automóvel. A nosso ver, conseguiu claramente concluir essa tarefa com sucesso.

Design do novo Audi A1

É inegável que o primeiro elemento a captar olhares no Audi A1, é a pequena entrada de ar logo abaixo do capot, por cima da grelha Singleframe. Ela remete imediatamente para o estilo do Audi Sport Quattro, que se assume como inspiração do modelo. Este é, efetivamente, um traço distintivo e que merece referência, já que confere uma imagem mais desportiva e um caráter visual único ao mais pequeno automóvel de Ingolstadt.

Na estética frontal temos, obviamente, a grande grelha Singleframe a dominar o espaço, com a Audi a explicar que optou por dar maior largura e colocar mais baixa esta assinatura de estilo da marca, o que confere também a sensação de que o A1 tem menos altura na dianteira. Com os fabricantes em luta contínua contra o peso de cada elemento, foi revelado que esta Singleframe é oca e bastante leve, recebendo ainda um formato com favos de mel nos modelos SLine.

A imagem da frente conta ainda com entradas de ar que envolvem a Singleframe através do recurso a contornos que se prolongam num pequeno lábio inferior. Há que ressalvar ainda o design das óticas, com linhas diversas que conjugam a cobertura do motor, as entradas de ar e a grelha, e os vincos colocados no capot, com linhas que acabam por também atrair mais olhares para a pequena mas chamativa entrada de ar ao centro.

A lateral do Audi A1 exulta dinamismo, com dois grandes vincos colocados nas portas como um elemento que enfatiza o desportivismo das linhas. Algo que fica também visível pela maior distância entre eixos e as extremidades bastante curtas, dando a sensação de que o modelo é mais curto. E ainda outro “truque” que ajuda a dar a sensação de menor altura, com a cor contrastante do teto disponível. Ou seja, concentram-se ainda mais as formas numa zona central bastante esculpida. Como não podia deixar de ser, também nas laterais encontramos elementos inspirados no Audi Sport Quattro. É o caso do volumoso Pilar C e também da linha da cintura, transplantada do ícone que serviu de trave-mestra para o design.

Na retaguarda voltamos a ter uma imagem que mostra como este é um modelo que pretende oferecer emoções fortes ao volante, com o spoiler superior, as duas saídas de escape e a zona central a recordar um difusor a evocarem a herança desportiva. A terminar, há que recordar também neste caso o visual das óticas, com um perfil tridimensional em que o boomerang na lateral serve de continuação às linhas da carroçaria e a seta ao centro remete para o perfil trabalhado do portão da mala.

Há que referir ainda o facto de estar exposto, na primeira apresentação em Munique (ainda antes da revelação das fotos e informações oficiais), uma versão SLine com elementos em bronze que conferem ainda mais apelo ao Audi A1. É o caso das estupendas jantes neste tom e os decalques no exterior, com este estilo a ser também transposto para o interior com toques de genialidade.

Interior e tecnologias

Evoluído é um dos elogios que podemos fazer ao interior do Audi A1. Entre outros, já que a marca revela um excelente bom gosto na escolha dos materiais, agradáveis ao toque na generalidade dos locais, e na forma como os combina com elementos como a iluminação a bordo. Há que referir que neste caso, há quase cores para todos os estados de espírito, pois estão disponíveis 30 tons para a luz ambiente, um dos opcionais.

A escolha desse ‘mood’ será feito num ecrã, que se junta ao cocktail digital juntamente com as instrumentações de 8,8’’ ou 10,1’’. Embora exista uma opção mais frugal somente com rádio, há que colocar enfase em dois elementos-chave nestes painéis. O primeiro é a forma como ele ajuda a criar um ambiente bastante limpo de botões, pois somente os controlos do ar condicionado estão também na consola central, e além disso merece referência a inclinação de 13º deste ecrã em direção ao condutor. Pode parecer irrelevante, mas foi possível confirmar que isto o coloca mais dentro do ângulo de visão do condutor do A1 e torna mais intuitiva a sua utilização.

Em termos de dimensões, há que referir que a marca tornou os espaços interiores mais amplos. Ainda que alguém com mais de 1,85m, como este jornalista que vos escreve, possa preferir um pouco mais de altura nos bancos traseiros, em termos de comprimento não há nada a reclamar sobre o espaço para as pernas. E na dianteira as zonas são, tal como os bancos, bastante confortáveis. Para este desafogo de áreas foi importante o aumento do comprimento do A1 para 4029mm (+56mm), enquanto a largura cresceu para 1074mm (+34mm) e a altura ficou menor em 13mm para um total de 1409mm. Para quem decida viajar, a nova geração do utilitário premium também promete levar mais bagagem, pois as dimensões da mala subiram em 65l para um total de 335L, que com os bancos traseiros rebatidos crescem para 1090L.

Bem sabemos que gostos não se discutem, mas no caso do Audi A1 pareceu unanime aos jornalistas que se deslocaram a Munique que este é um habitáculo muito bem desenhado. Embora os equipamentos do interior, tal como as configurações estéticas do exterior, dependam da escolha entre os níveis Basic, Advanced e SLine, o visual é cativante. Especialmente no caso (que as fotos mostram) do S-Line com laivos de bronze no interior, cor que surge na envolvência da manete da caixa de velocidades, dos puxadores das portas e saídas de ventilação. O amarelo das outras imagens também é bonito, mas ao vivo o bronze deste S-Line tem uma elegância desportiva que é apaixonante.

Só gasolina nos motores do Audi A1

Passando ao que promete apaixonar verdadeiramente os condutores do Audi A1, revelamos agora a gama de motorizações. Temos que destacar desde logo que, tal como acontece com a carroçaria de três portas, também os Diesel são eliminados do modelo. Ainda assim, há várias opções de escolha, com quatro blocos turbo, de uma oferta que culmina com o dois litros de 200cv. E, para cumprir com as mais exigentes normas de proteção, toda a gama conta com um filtro de partículas para motores a gasolina.

O mais calmo dos Audi A1 é a versão 25 TFSi, que conta com um motor tricilíndrico de um litro que debita 95cv e 175Nm. Logo acima surge, com o mesmo bloco, o 30 TFSi, que oferece 116cv e 200Nm de binário. A terceira versão disponibilizada é o motor 1.5L do grupo Volkswagen com capacidade de desativação de cilindros, um propulsor de 150cv e 250Nm que vê a sua eficiência reforçada pelo COD (Cylinder on Demand). Mas o que promete chamar mais à atenção é o modelo com motor 2.0L de 200cv e 320Nm, que equipa uma caixa automática Stronic de seis velocidades.

Mas nem só de motores mais potentes se faz a evolução da dinâmica ao volante do Audi A1, A marca revelou que optou por integrar na oferta os amortecedores dinâmicos, que pretendem absorver com muito maior eficácia as irregularidades no piso. Esta solução é contemplada no pack Performance (um dos dois pacotes dinâmicos para o A1) em conjunto com suspensão desportiva e discos de travão maiores com pinças pintadas a vermelho. Existem mais dois tipos de configurações de suspensão disponíveis, de acordo com o modelo pretendido pelos clientes, sendo a opção mais desportiva uma solução para maior precisão e um comportamento neutral em curva, já que trabalha em ligação com a direção assistida eletromecânica.

Segurança

Este modelo, que tem jantes com dimensões entre 15’’ e 19’’, contempla ainda diversos apoios ao condutor para maior salvaguarda. Entre os que foram já destacados pela marca encontram-se o limitador de velocidade (para evitar transgressões), o aviso de saída de faixa com correção do posicionamento e alertas por vibração ao condutor. Outra tecnologia pouco usual no segmento é o Adaptive Speed Assist, que recorre a um radar para manter a distância em relação ao veículo imediatamente à frente. Configurável em cinco modos no Audi Drive Select, o que permite escolher o grau de aceleração e outros parâmetros, ele funciona dos 30km/h aos 200km/h.

Como não podia deixar de ser, o Audi A1 conta ainda com a travagem de emergência, ajudando a evitar atropelamentos e colisões em ambiente urbano. Este Audi pre sense consegue atuar mesmo em condições de baixa visibilidade e com nevoeiro cerrado, e pode detetar outras viaturas, ciclistas e peões e tem ainda outras medidas além da travagem. Ele efetua ainda a pre-tensão dos cintos de segurança, encerra as janelas e ativa luzes de emergência para alertar os outros condutores.

Pela primeira vez, o Audi A1 está também disponível com câmara de visão traseira, que passa a trabalhar em conjunto com o apoio ao estacionamento à retaguarda e na perpendicular e na saída de estacionamentos em paralelo. Com o condutor a ter apenas de utilizar a transmissão para colocar a mudança correta e o acelerador e travão, pois o carro assume controlo da direção graças ao apoio de dois sensores.

O novo Audi A1 chegará a solo nacional durante o último trimestre do ano. Brevemente esperamos poder adicionar ao artigo mais fotos e vídeos do novo Audi A1, o que faremos assim que eles sejam revelados pela marca.

20-06-2018